Não é novidade que corredores se envolvam com a preservação ambiental: as corridas de montanha sempre apresentam uma proposta ecológica, e a Maratona de Tóquio, por exemplo, é conhecida por não deixar nenhum lixo nas ruas.

Agora, uma nova prática que mistura a corrida com as causas ambientais está ganhando força pelo mundo. O plogging consiste em correr recolhendo o lixo encontrado pelo caminho e levá-lo em sacos até o lugar correto de descarte.

O movimento foi fundado pelo sueco Erik Ahlstrom, que usou uma mistura da sua língua natal com o inglês para batizá-lo: “plocka” (recolher) e “jogging” (correr). Rapidamente o movimento deixou a Suécia e se espalhou por outras comunidades.

No Brasil, ainda é um pouco mais difícil de encontrar menções ao plogging, mas a prática tem tudo para dar certo no país.

Além dos benefícios da corrida, os ploggers afirmam que fazem um exercício mais completo do que a corrida tradicional, já que os “agachamentos” para recolher o lixo e carregar o peso dos sacos pode ativar diferentes partes da musculatura.

Mas atenção! O treinador César Rodrigo concorda que quando há uma preocupação com a mecânica, realmente há uma vantagem: “Há uma contração isométrica do braço, o ombro é ativado como estabilizador, tem todos esses exercícios a mais”. Entretanto, se a coleta e a corrida forem feita de maneira descuidada, o resultado é o inverso: “Correr com esses pesos todos não é adequado. Não vai trazer benefício nenhum, somente um risco de lesionar a lombar”.

Vamos torcer para que a moda pegue o mais rápido possível!!

original em: ativo.com

Anúncios