Ao passear por Stellenbosch, podemos descrevê-la bem assim… À tarde é uma cidade bem pequena, pacata e cheia de charme, com sorveterias, cafés charmosos e modernos… À noite, por ser uma cidade universitária, as ruas são tomadas pelos jovens que lotam os bares com muitas mesas na calçada.

Stellenbosch é a segunda colônia europeia mais antiga na África do Sul, após a Cidade do Cabo, e fica na Província do Cabo Ocidental. Está situada a cerca de 50 km da Cidade do Cabo, possui aproximadamente 100 mil habitantes, sem contar estudantes. Conta com uma instituição de ensino superior, a Universidade de Stellenbosch, fundada em 1866.

A cidade foi fundada em 1679 pelo Governador da Colônia do Cabo, Simon van der Stel, que lhe deu o nome — Stellenbosch significa “mato [bosch] de (van der) Stel”. Está situada nas margens do Rio Eerste (“Primeiro Rio”), assim denominado por ser o primeiro rio a que se chega ao vir da Cidade do Cabo.

Logo que chegaram os primeiros colonos, particularmente os franceses, teve início a cultura da vinha nos vales férteis em torno de Stellenbosch, que rapidamente se tornou o centro da indústria vinícola sul-africana.

Os vales de Stellenbosch, Paarl e Franschoek formam a Região Vinícola do Cabo, a maior das duas regiões vinícolas da África do Sul. Stellenbosch é a principal localização para produção e pesquisas da indústria vinícola sul-africana, que produz anualmente cerca de dez milhões de hectolitros de vinho.

A Rota dos Vinhos de Stellenbosch, tem fama mundial e constitui destino turístico apreciado e quase que obrigatório. As vinícolas que mais se destacam são Philadelphia, Waterford, Lanzerac, Neil Ellis, Tokara, Zorg Vliet e La Motte.

Nessas vinícolas destaque especial para a uva Cabernet Sauvignon, cujo vinhedo ilustra este posts, em foto enviada por uma das seguidoras do Blog, tendo como características principal a cor rubi escuro. Produzindo assim, um vinho encorporado com fruta madura e especiarias. Taninos firmes de grande permanência, com marcante sabor de frutas vermelhas com chocolate e café, em segundo plano baunilha amadeirada.

Portanto, ao viajar pelo continente africano, em especial à Africa do Sul não se prenda somente às savanas, lindas por sinal, contudo, sem possuir o romantismo e o charme das regiões produtoras da Bebida dos Deuses.

Anúncios