A classificação Cru Bourgeois* sempre foi controversa. Iniciada em 1932 para classificar as propriedades que ficaram de fora da famosa Classificação de 1855, ela já gerou diversos conflitos entre os produtores e promete estar repaginada daqui a quatro anos (2020).

Em uma reunião realizada recentemente na região francesa de Bordeaux, 78% dos membros da assembleia geral aprovaram a nova classificação trienal, baseada em três pilares: qualidade, normas ambientais e “notoriedade” dos vinhos.

Ainda como parte do novo modelo a ser adotado, estarão de volta as denominações Cru Bourgeois Supérior e Cru Bourgeois Exceptionnel. Agora, porém, os produtores que requererem estas duas classificações precisarão ser reavaliados a cada cinco anos. Caminhando ao retorno da classificação, no último mês de setembro, os produtores voltaram a introduzi-la com base na safra de 2014. Como consequência, existem hoje 278 Châteaux anunciados como Cru Bourgeois.

* Classificação dos Vinhos de Bordeaux
Fonte: Revista Adega (com adaptações)
Anúncios